Série Love Death Robots

Love, Death & Robots: surpreenda-se

Nem todo mundo gosta de séries. Muitas duram vários anos, outras decepcionam no final.

Game of Thrones, com suas oito temporadas e um final polêmico é a prova disso. Porém, se você é desses, tenho uma surpresa excelente para você: Love, Death & Robots.

Em sua primeira temporada, Love, Death & Robots apresenta dezoito episódios.

Cada um deles foi escrito e dirigido por uma equipe, o que promove grande variedade de formatos e enredos.

No esquema antologia, cada história é independente.

Você pode perfeitamente assistir a um ou outro episódio apenas sem qualquer prejuízo.

Antologia: da literatura para a TV

Alguma vez você já viu um livro de contos? Ou quem sabe uma antologia poética? E sabe o que é isso?

Pois bem: antologia, nesse sentido, é uma coleção de trabalhos. Eles devem ser organizados com base no tema, autoria ou período.

Quando falamos sobre um “livro de contos de terror”, sabemos que trata-se de uma coleção de histórias com este tema, certo?

Love, Death & Robots também é assim.

A única diferença é seu suporte: trata-se de uma antologia para a televisão.

A temática de Love, Death & Robots

Se traduzirmos Love, Death & Robots livremente, teremos “Amor, Morte & Robôs”. De um jeito bastante econômico, eis aí a temática da série.

Normalmente, temos uma certa uniformidade entre os episódios, ainda que sejam escritos ou dirigidos por equipes diferentes.

Black Mirror é um excelente exemplo.

Não só a vinheta entrega o que estamos vendo. Toda a atmosfera, estilo pertencem, mais ou menos, a todos os episódios.

Porém Love, Death & Robots veio para mudar esse paradigma. Há atuações, há CGI de ponta, há animações.

E é preciso combinar: a realidade e naturalidade dos personagens em CGI é de deixar o queixo caído!

Assim como no tipo de conteúdo, os universos são distintos em cada história.

Pouco ou nada — senão os robôs — é informação compartilhada. Trata-se da verdadeira definição de “multiverso”.

Com diferentes durações e muita “gente” pelada — diga-se de passagem —, paradoxo temporal, buracos de minhoca, inteligência artificial, “reencarnação”, mundos dentro de outros mundos e mais um monte de loucuras geniais, é impossível assistir a um episódio só.

Veja também: O que manter em mente e como fazer um vídeo motivacional?

Onde assistir a Love, Death & Robots

 Muita gente pode se assustar com essa informação: Love, Death & Robots é uma produção Netflix…

Eu sei o que você acha. Sei que você não gosta muito de séries e, ainda pior, detesta os originais da Netflix, certo? Eu entendo.

Aconteceu que, quando passou a desenvolver sua estante própria, a Netflix pisou na bola. Em nome de possuir muito conteúdo em pouco tempo, deixou a qualidade de lado.

Muito lixo foi apresentado para os assinantes, enquanto filmes ótimos de outros estúdios eram retirados de lá.

No entanto vamos conversar: é mentira que mesmo um relógio quebrado acerta duas vezes por dia?

Pois, então! Assim como “La casa de papel”, Love, Death & Robots é uma joia perdida no catálogo.

Que tal assistir aos dois trailers clicando aqui?

Para quem ainda não se convenceu

Eu sei… eu sei… Depois de tanto tempo perdido “experimentando” conteúdos originais terríveis, fica difícil confiar.

Mas basta pensar o seguinte:

  • Gosta de distopias?
  • Gosta de acidez e exageros?
  • Consegue suspender seu senso de realidade para mergulhar em algo novo e diferente?
  • Acha bacana finais cheios de suspense, deixando pontas para a imaginação?

Então, meu amigo, não há nem o que pensar.

Como diz o resenhista:

“Criaturas aterrorizantes, surpresas bizarras e humor ácido. Tudo isso e muito mais nesta série de animação de Tim Miller e David Fincher.”

Não perca mais tempo, vá maratonar Love, Death & Robots e, assim que terminar, volte aqui e comente se gostou ou não da recomendação.

Ah! E não deixe de assinar nossa newsletter para receber mais dicas fresquinhas de conteúdo. Combinado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *