gas de cozinha

Chama Gás de Cozinha – Preço do Gás

Preço do Gás de Cozinha na mira de campanhas Eleitorais. No Brasil, em todos os anos eleitorais, três temas são discutidos: a privatização da Petrobras, o preço da gasolina e do diesel, além do gás de cozinha. Este ano não poderia ser diferente, e a greve dos caminhoneiros concluiu a discussão.

O debate é sempre populista, girando em torno da tese de que esses combustíveis são caros no Brasil, e a culinária a gás, principalmente por sua natureza social, é vítima de uma série de mitos sobre seu uso e sua relação custo-benefício, por isso chama gás de cozinha ficou mais caro..

O primeiro mito de uso é afirmar que o preço do gás de cozinha levou a um maior consumo de lenha. De acordo com (Pnad), a maior taxa de crescimento do consumo de lenha não foi nas famílias de baixa renda. Estudos mostram que o número total de famílias que usam o CIS não diminuiu. Ou seja, tudo indica que em algumas casas são utilizados madeira e carvão.

Preço do gás de cozinha é determinado pela Petrobras

O segundo mito é que o preço do gás de cozinha é determinado no mercado doméstico da Petrobras, quando na verdade o preço do gás culinário, que é utilizado por quase 99% das famílias brasileiras, segue a tendência no mercado internacional, como gasolina e óleo diesel. Outro mito é que, no Brasil, o gás de cozinha é caro. O botijão de gás de cozinha. de uso mais comum, de 13 kg nas famílias brasileiras tem uma média de 45 dias, ou seja, mesmo após o recente aumento, custa menos de R$1,50 por dia no orçamento familiar. Este custo diário é o mais baixo de todas as fontes de energia domésticas.

Se pensarmos, e é verdade que o gás de cozinha pode ser considerado uma mercadoria de necessidade e não um benefício, sua carga tributária é incompatível com os produtos da cesta principal. Em 2004, o governo federal reduziu para zero o imposto sobre PIS / Cofins sobre arroz e feijão. Recentemente, o estado de São Paulo anunciou a liberação do ICMS do pão francês e da farinha de trigo. O mesmo tratamento poderia ter sido estendido para a preparação de gases.

Subsídios para o gás de cozinha

É uma ilusão pensar que o consumidor final deve ser protegido por preços subsidiados e artificiais, porque esses preços são proibidos pela sociedade no final do dia. Uma parte significativa dos subsídios para o gás de cozinha provou ser útil para milhões de famílias com maiores rendimentos.

A ideia de usar os mais pobres por causa dos preços controlados é errônea e representa o custo pago pela sociedade como um todo, incluindo os mais pobres. É importante que o governo tenha incentivos para aqueles que mais precisam. Mas também é importante que o preço flutue, como outros produtos à venda no mercado.

O que garante um preço justo é a livre concorrência e, assim, as flutuações de preços são uma realidade em qualquer mercado competitivo. No caso de preços controlados, os ajustes não seguem a lógica do mercado, e isso cria expectativas irreais para as pessoas, se chama gás pelo aplicativo tem economia. Toda vez que os preços precisam ser ajustados para se aproximar da realidade, o impacto do aumento provoca um profundo descontentamento do consumidor e discursos populistas.

A grande diferença entre o preço do gás de cozinha e o preço do gás a granel fornecido à indústria tornou o último competitivo, então chama gás de cozinha no app. Não surpreendentemente, 39% do CIS é usado no mercado internacional na indústria, e no Brasil – apenas 13%. Com tais distorções, qualquer investidor simplesmente não pode estar interessado em avaliar sua entrada no mercado interno para processamento ou importação de Gás GLP. Ele perde a empresa e perde o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *