A  CERÂMICA 

Cerâmica é feita de argila, de barro.

A cerâmica é uma das mais antigas atividades que a civilização criou. Não se sabe ao certo quando foi utilizado pela primeira vez o material argiloso, sabe-se que desde o domínio do fogo o homem deixou vestígios de utensílios de cerâmica.

Há milhares de anos já se faziam objetos de argila. A Cerâmica é uma atividade  que  se mantém inalterável, até hoje. Seus principais fundamentos são:

obter a argila - processar - moldar - secar - queimar

Cerâmica é a denominação comum a todos os artigos ou objetos produzidos com argila e queimados/assados ao fogo. O nome procede da palavra grega keramos que significa argila. Toda uma região de Atenas tinha esse nome em função dos ceramistas que lá residiam -  kera - meikos. A transformação do barro em cerâmica acontece durante a queima. Na primeira queima a água que existe na argila se evapora, isto ocorre aproximadamente aos 400°C. Em seguida ocorre a eliminação da água química, entre os 450° e 700°C.  A argila torna-se anidra, comumente chamada de metacaolim. Aos 830°C transforma-se em alumina gama e aos 1.050°C em mulita. Quando a argila é queimada e torna-se firme, em sua primeira queima obtêm-se o chamado biscoito, que apesar de não mais voltar ao estado plástico ainda possui características frágeis, pois se cair no chão ou levar uma pancada mais forte, quebra-se em muitos pedaços.

A argila existe em toda superfície terrestre. Alguns tipos são encontrados a céu aberto e outros em minas subterrâneas ou jazidas. A argila quando retirada da natureza geralmente contém corpos indesejáveis, impurezas orgânicas, e por isso necessita ser beneficiada através de processos mecânicos e químicos. Para cada categoria da produção cerâmica a produção das massas argilosas necessita do acréscimo ou da retirada de elementos em sua composição, de acordo com sua aplicação, evitando assim a ocorrência de rachaduras e esfacelamento. Dos muitos tipos de argilas existentes são produzidas as massas cerâmicas que são utilizadas na fabricação de utensílios cerâmicos como telhas, tijolos, manilhas, pisos, etc; que é a chamada cerâmica estrutural. As massas de adobe - taipas de sopapo e de pilão são empregadas cruas na construção de moradias. Tem-se a chamada louça branca usada em peças sanitárias, azulejos, pisos de alto impacto, refratários, isoladores elétricos, condutores elétricos, etc. E as massas cerâmicas para a chamada cerâmica artística.

Amassar e Bater o barro. O trabalho com argila requer que  esta seja  bem   amassada com as mãos, ou mecanicamente, para  compacta-la, homogeneíza-la  e  eliminar todas as bolhas  de ar  existentes  em seu interior. As  bolhas fazem com que a peça exploda dentro do forno durante a queima do biscoito, podendo também  provocar rachaduras nas peças no período de secagem. Pode-se também amassar o barro numa superfície plana repetidas vezes – quando muito molhado/úmido a superfície pode ser uma placa de gesso ou estar recoberta com papel tipo jornal para a retirada da água em excesso. Não se deve esquecer  que Bater o Barro é uma etapa do processo de preparação dele e que não pode deixar de  ser realizada.

O aspecto exterior da cerâmica pode ser variado, porém sua ESSÊNCIA É UMA SÓ :

TERRA  ou seja  ARGILA

                A argila como síntese, simboliza a própria matéria, pois segue o ciclo dos antigos gregos:

 TERRA - ÁGUA - AR – FOGO

Bibliografia Consultada :

CHARLESTON, R.J. World Ceramics. London: The Hamlyn Publishing Limited, 6ª. impression, 1979.

COOPER, Emanuel  História de la Ceramica. Barcelona: Ediciones CEAC, 1ª. Ed. Española, 1987.

GABBAI, Miriam B.B. Cerâmica arte da Terra. São Paulo: Ed. Callis, 1987. (Miriam Gabbai  - organizadora)

LEACH, Bernard. Manual del Ceramista. Barcelona: Editorial H. Blume, 1ª. Ed. Española 1981.